sábado, 6 de outubro de 2012

DEUS ABENÇOE AS ELEIÇÕES


Dom Canísio Klaus
Bispo de Santa Cruz do Sul (RS)
No domingo, dia 7 de outubro, aproximadamente 140 milhões de brasileiros irão buscar a sua seção eleitoral para eleger 5.510 prefeitos e 59.500 vereadores. É a forma mais efetiva de o povo participar da regência dos destinos da saúde, educação, segurança pública, transporte e investimentos em obras nos municípios.

Para realçar a importância do ato de votar, recordamos o que propõe as Diretrizes da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil: “A Igreja reconhece a importância da atuação no mundo da política e assim incentiva os leigos e leigas à participação ativa e efetiva nos diversos setores diretamente voltados para a construção de um mundo mais justo, fraterno e solidário” (DGAE, nº 71). No documento Evangelização e Missão Profética da Igreja (Pg. 96) a CNBB é ainda mais explícita: “A política pode ser um caminho privilegiado para o serviço da justiça, uma forma sublime da caridade. Enquanto as forças do mercado tendem a reduzir o espaço da responsabilidade pública, a Igreja quer reabilitar a política, denunciando e lutando contra a corrupção, participando da administração da res-publica, encorajando os cristãos a entrar na política e acompanhando os que já atuam neste campo”.

No próximo domingo vamos realizar as primeiras eleições municipais depois que entrou em vigor a Lei da Ficha Limpa, fruto de iniciativa popular contra a candidatura de pessoas condenadas pela Justiça ou que renunciaram a seus mandatos para escapar de punições. Para reforçar a importância desta Lei, a CNBB lançou, no dia 6 de setembro, “a Campanha Voto Consciente – Eleições 2012, nascida de um convite feito à CNBB pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para se somar à sua Campanha Voto Limpo” (Secretário geral da CNBB).

Faço votos de que as pessoas que colocaram seus nomes ao aval do eleitorado, saibam manter uma postura de acolhida ao resultado que as urnas apresentarem. Que as eleições transcorram num clima de respeito entre adversários e que nenhuma violência seja usada para inibir o livre exercício do voto. Que todos votem conscientemente e que o bem público esteja acima dos interesses particulares.

Independente das coligações ou partidos que merecerem a confiança do povo, os eleitos deverão se preocupar em organizar um programa de governo que favoreça o bem de todos os munícipes e não só da parcela que os elegeu. E nós, como Igreja, queremos ser apoio para que os eleitos consigam colocar seus planos em ação, oferecendo-lhes parceria para a concretização de projetos que visem a defesa e a promoção da vida.

Que Deus abençoe as eleições do domingo e que o Espírito Santo ilumine os eleitores na escolha dos melhores candidatos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário